Um final…feliz?

Há uns anos atrás, costumava dizer que detestava finais felizes. Não na vida. Mas na ficção. Era a época em que, sem o admitir, alinhava, propositadamente, nas fileiras do contra, gostava de frases de choque, fazia do King uma segunda casa, vetava comédias românticas e considerava que “Lilith e o Destino” era a expressão mais imperfeitamente perfeita do amor. E que acreditava em tudo com convicção.

Hoje, tendo percebido – e aceite- que nada mais se tratava do que um mecanismo de afirmação, assumi, pública e pessoalmente, a minha tendência “ai-que-me-foge-o-comando-p’ra Oprah” e vibro de forma apaixonada com todos os Romeus e Julietas que se cruzam no meu caminho. Do Ponto de Encontro  à comédia romântica mais acéfala, dou por mim a sorrir, embevecida, quando os amantes finalmente se juntam. Torço pelos casos mais dificéis. Formulo conselhos mentalmente. E entristeço-me quando não se dá o momento “Dama e Vagabundo“.

Tudo isto para vos explicar porque me desgosta, profundamente, que ESTA história não tenha terminado com final feliz. A pensar em todos aqueles que não se dão ao trabalho de clickar no link (ah e tal, web 2.0 mas, afinal, smp estamos em Agosto), o enredo é simples: Rapaz segue no metro nova-iorquino. Rapaz cruza-se com rapariga desconhecida. Rapaz decide que é a mulher dos seus sonhos. Não trocam contactos. Rapaz fica de bracos cruzados? Não. Rapaz põe mãos à obra e cria site onde desenha aquela que poderia ser a mulher da sua vida, e sua pessoa, deixando os seus contactos e pedindo a todos os que ali acederem que colaborem nessa missão. E rapaz conhece rapariga graças a um amigo da mesma que visita a dita página.

A verdade, é que, desde que, graças a um post do BláBlá, me cruzei com esta versão Cinderela dos tempos modernos (em que os mails em cadeia substituem a prova do sapatinho de cristal), acalentei esperanças de que fosse mm verdade. Q num universo de dezenas de milhões de pessoas, um instante decisivo tivesse feito a diferença. Mas não. Tive que resignar-me com o THE END que pôs fim àquela que acabou apenas por se tratar de uma short-story pois as personagens não tinham densidade para um Romance…

One thought on “Um final…feliz?

  1. mas não esqueças o WHEN HARRY MET SALLY !!!!!!!!!

    eles podem agora ter-se separado, mas voltar-se a juntar daqui a 20 anos eprcebendo que são o par perfeito.

    opr isso, nada ainda terminou.

    mete aí no mobile um lembrete para em 2028 voltarmos a ver como o caso anda.
    =)

Os comentários estão fechados.