TAG

Perguntava-me uma amiga se pudesse escolher um rótulo para a minha pessoa, qual seria. Depois de breves segundos de ponderação (que a Andorinha é pessoa de resposta rápida), optei por perguntar se teria que ser algo que me definisse, ao que me explicou que n, que podia ser o q eu quisesse, como se fosse um rótulo de um produto numa prateleira, sem ambições de ser escolhido. Bastava ser o q mais me apetecesse.

Passando em revista, mentalmente, frases curtas que poderiam ser boa publicidade, acabei por me decidir, inspirada por uma dedicatória num livro que me ofereceram há muitos aniversários atrás (caramba, e o que me senti velha agora ao escrever estas palavras:P): Killer sentimental. E era só isso. Quem não gostasse, tinha sempre a prateleira seguinte…

2 thoughts on “TAG

  1. No meu caso gosto muito de um que me deste nos tempos de CC Power… Professional Cinderela… Adoro!

Os comentários estão fechados.