E agora?

Na sexta-feira, foi com muita tristeza que li as palavras que se seguem no DN:

Polaroid não resistiu à era das máquinas digitais e anunciou ontem o fim das fotos instantâneas. O grupo norte-americano, que inventou as máquinas fotográficas instantâneas, pôs fim a 70 anos de história, ao anunciar já o encerramento de duas fábricas de filmes, nos Estados Unidos. O anúncio partiu de Kyle MacDonald, vice-presidente da Polaroid Corporation , em Nova Iorque, e era há muito esperado, uma vez que a empresa abandonou a produção de câmaras há mais de um ano…

Eu sou uma orgulhosa detentora deste invento genial. Gosto daquele determinismo do instantâneo imediato. Do ritual do “shake it, shake it like a polaroid picture” que, em pouco tempo, nos permite ver-nos reflectidos “para mais tarde recordar”. Agora, parece que as míticas fotografias de moldura branca não vão passar de memórias saudosistas. Não me resta mais que ir até à loja mais próxima e abastecer-me para que possam fazer parte do futuro…