O problema do silêncio

Crescemos a ouvir que o silêncio é sagrado. Que é nele que consiste a “alma do negócio”, que “é de ouro”, que é preciso aprender a lê-lo, interpretá-lo, respeitá-lo, preservá-lo. Crescemos com este misto entre veneração e auto-censura e vamos descobrindo como usá-lo e fazer dele o nosso aliado nos mais diversos momentos das nossas vidas. Progressivamente, o seu estatuto cresce até o colocarmos num pedestal do qual já não pode descer. Começamos então a silenciar-nos, para não ferir o silêncio, para não desgastar, deixando, para tal, de proferir palavras que terminam entaladas na garganta, sem nunca se transformarem em som.

[às xs, preferia que na -minha-vida existissem mais momentos de prata]

2 thoughts on “O problema do silêncio

  1. Apesar nem sempre ser o maior aliado das nossas vidas, sobretudo quando esperamos uma resposta, existem alturas em que UM silêncio diz muito mais que “mil palavras”

Os comentários estão fechados.