Batem leve, levemente…

A propósito de um e-mail inesperado que recebi hj, fiquei a pensar como às xs tocamos a vida das pessoas, sem nos apercebermos. Não falo de acções intencionais mas de coisas pequenas, gestos do quotidiano, que não são mais do que sermos quem somos e mantermo-nos fiéis a nós próprios. São momentos feitos de silêncios, saboreados anonimamente, sem que suspeitemos…mas, de quando em x, uma dessas pessoas decide “acusar o toque” e, com um sorriso, mostrar-nos como só o facto de estarmos aqui basta. Obrigada.